quarta-feira, 26 de agosto de 2015

A saga do sono em plena mudança

E pra quem está curioso sobre a saga do sono...

Ela continua! Em plena mudança, fazer meu filho tirar uma soneca, nunca foi tão dificil! Já não tenho a menor expectativa que ele durma mais de 30 minutos, na verdade, quando consigo fazê-lo dormir 30 minutos dou graças a Deus!

Vários dias ele passou o dia inteiro acordado, soneca zero! Como tenho passado muito tempo na rua, o sling tem sido a cama das sonecas diurnas. Haja coluna! O que uma mãe não é capaz para ver seu filho feliz e sorridente? 

Enfim! Abandonei toda e qualquer "regra" de sono. Deixo dormir mamando, fazer meu peito de chupeta, dormir no sling... Se uma mudança não é fácil para uma pessoa adulta, imagine para um bebê que está em sua terceira mudança de estado em seis meses de vida?!? 

As consequencial disso? Só esperando para ver! Cansei de regras de livros! Estou seguindo a minha intuição e fazendo o que está a meu alcance neste período de mudança! No último mês eu e meu filho dormimos em 6 quartos diferentes, em três estados com climas totalmente diferentes: Bahia - quente e úmido; Minas Gerais - frio e seco; Mato Grosso - quente e seco. Que tal?!? 

Em breve retornarei com mais... Boa sorte para quem tem um bebê que não quer saber de sonecas como o meu é precisa conviver com muito chororô cada vez que ele sente sono. Se na rotina não é fácil, sem rotina é bem mais difícil: garanto! 


Sumida, porém viva!

Queridos leitores,

Sumi mais uma vez! Estou completamente fora de minha rotina e viajando entre Bahia, Minas Gerais e Mato Grosso há mais de um mês! Difícil manter a rotina do blog quando não se tem nem uma casa para morar...

Já falei aqui o quanto amo uma rotina e como um cotidiano organizado é libertador, pois as horas livres se tornam previsíveis é assim, fáceis de programar. Quando estamos sem rotina, acordamos sem saber o que esperar daquele dia e a vida fica parecendo uma gincana de mil tarefas intermináveis, risos!

Para reduzir essa sensação, faço checklists! Estou passando por mais uma mudança e o checklist está a todo vapor!

Empacotar mudança - FEITO!
Escolher nova moradia - FEITO!
Receber mudança - FEITO!
Desembalar mudança - 95% FEITO!
Comprar eletrodomésticos pendentes - FEITO!
Converter fogão - FEITO!
Instalar máquina de lavar roupa - PENDENTE!
Instalar ar condicionado - PENDENTE!
Instalar cortinas e cortinado - PENDENTE!
Instalar internet - PENDENTE!
...e a lista de pendências é sempre enorme, mas se focar no tanto que já foi feito e não parar de cumprir metas, a lista vai parecendo cada vez menor!

É isso aí, em breve retomo os textos!

segunda-feira, 13 de julho de 2015

Amamentação: A mamada do "nocaute"

Logo que meu filho nasceu percebi que passava o dia ativo e com poucos cochilos até que chegava uma hora que mamava e apagava! Apelidei essa mamada de "nocaute" e aos poucos ela foi ficando mais profissional, risos!

No começo, essa mamada era a única em que meu filho desmaiava em meu peito, punha para arrotar, botava pra dormir e nada o acordava. Por isso apelidei de nocaute!

Depois ele passou a não mais adormecer no peito e eu o ninava no colo até dormir e depois colocava no berço. Era um processo: quarto escuro, ninguém podia entrar, silêncio total ou som do útero...

Até que esse processo começou a ficar cada vez mais demorado. Vários dias levava duas horas ou mais para conseguir fazê-lo dormir. 

Percebi que ele só apagava se estivesse com a barriga bem cheia e muitas vezes meus seios já não estavam tão cheios à noite, por isso demorava um tempão para ele mamar tudo que precisava... Sem contar que como estava cansado, cochilava no peito, mas não embalava no sono, pois ainda não estava de barriga cheia o suficiente. 

Foi aí que comecei um novo processo (Gui tinha uns 2 meses na época): como acordava com o peito muito cheio e ele, guloso, mamava até secar o peito e depois desperdiçava meu leite golfando horrores, comecei a ordenhar leite pela manhã (antes dele mamar) e guardar para a noite!

Já faço isso há 3 meses e foi a solução dos meus problemas! Na mamadeira ele mama rápido e mesmo que esteja com sono é mais fácil do que no peito. Acaba engolindo menos ar, então não costuma golfar muito e o melhor, enche a barriga e adormece rapidinho! 

Além disso, foi importante para ele se acostumar com a mamadeira para o dia que precisar aceitar direitinho. Antes disso, as poucas vezes que precisei sair e deixei leite para minha mãe dar na mamadeira foi bem trabalhoso, pois ele não entendia que daquilo ali saia leite. Agora ele é "total flex" - peito, mamadeira... Tendo leite ele "se joga"!

Fica a dica para o caso de você ou alguém conhecido passar por algo semelhante!

sexta-feira, 10 de julho de 2015

Pão de "queijo" vegano: com polvilho, batata doce, orégano e nozmoscada - sem glúten e sem lactose

Outro dia publiquei a receita de um pão de "queijo" falso da Bela Gil e comentei que ia testar variações da receita. 

Dessa vez usei batata doce, orégano e uma pitada de noz moscada. Ficou super deli! Já tinha feito com cará, orégano e açafrão e ficou ótimo também. A versão de hoje ficou tudo de bom além de mais parecido com pão de queijo, pois desta vez não ficou amarelo por conta do açafrão, como das outras vezes.




Ingredientes: 
300g de polvilho azedo
400g de polvilho doce
150ml de azeite de oliva (estava com pouco azeite em casa e fiz com óleo de girassol mesmo)
600g de batata doce (cozida e espremida)
1/3 de xícara de água 
1 colher de chá de sal marinho
1 colher de sopa de orégano 
1 pitada de noz moscada 

Preparo:
Misture o polvilho doce, o azedo, o orégano, o sal e o óleo em uma tigela grande.
Adicione a batata doce e depois a água (usei a água do cozimento da batata doce) aos poucos até obter uma mistura firme e homogênea. 
Enrole a massa (eu fiz na forma de bolinhas, igual a pão de queijo)
Leve ao forno a parcela que vai comer e o restante ponha no freezer no tabuleiro. Depois de umas 2 ou 3 horas porcione como desejar em saquinhos e reserve para assar quando desejar. 
Observação: se colocar em saquinhos antes de congelar eles grudam um no outro! 


Para assar, mesmo que esteja congelado, coloque à 255 graus por 30 minutos. 

Rendimento: 120 unidades pequenas


quarta-feira, 1 de julho de 2015

Bolo de cenoura com calda de cacau e canela

Estou com uma super ajudante na cozinha em casa que apesar de ser super novata nessa área de ingredientes naturais e integrais, em pouco tempo pegou o ritmo da coisa e anda super animada na adaptação e criação de novas receitas.

Hoje perguntou se podia fazer um bolo de cenoura... Perguntei como era a receita que ela fazia, falei como adaptar e ficou show de bola! Depois ensinei a fazer uma calda e aí está o resultado.

Como podem ver, é bem pouco doce, pois não curto nada doce demais... Se preferir sabores mais adocicados sugiro que aumente a quantidade de açúcar mascavo, tanto no bolo quanto na calda...


Bolo
Ingredientes
2 ovos caipira
1 copo americano de óleo (se puder ser de coco, melhor ainda)
15 gramas de fermento biológico fresco (aquele tabletinho que armazena na geladeira)
2 cenouras médias
1/2 xícara de açúcar mascavo
1 e 1/2 xícara de farinha branca
1 e 1/2 xícara de farinha integral

Preparo:
Bate tudo no liquidificador menos a farinha. Mistura a farinha, coloca na forma untada. Pré aquece o forno (temp. max por 10 minutos) depois assa por 35 minutos à 205 graus.

Calda de cacau com canela

Ingredientes:
2 colheres de chá de agar agar
2 colheres de sobremesa de malte de cereais (Ecomalt)
1/4 xícara de açúcar mascavo
1/2 xícara de cacau em pó 
1 colher de sopa de canela
1 pitada de sal marinho
1 copo americano de água 

Preparo:
Dissolve o agar agar na água quente, numa panela ao fogo. Depois acrescenta todos os ingredientes e mistura até engrossar: aproximadamente 3 minutos.