quarta-feira, 30 de agosto de 2017

Refletindo sobre as ambições de mudar o mundo

Bom dia, quem é vivo sempre aparece!

Hoje comecei o dia recebendo uma simples mensagem em um grupo de WA que acabou gerando uma reflexão...

Tudo começou com essa imagem:




Não faço ideia de quem é o autor desta frase, mas achei o conteúdo uma tremenda baboseira. 

Seu trabalho não tem que transformar nada, apenas lhe realizar, pois o que importa é trabalhar feliz e com satisfação. Todo trabalho tem seu valor, o que muda é a identificação de cada um com seu trabalho que é o que faz que as pessoas tenham empolgação no que fazem, consequentemente fazendo bem feito! Graças a Deus existem gostos diferentes, assim as necessidades mais diversas são atendidas!

Essa preocupação em transformar o mundo está fazendo do mundo um caos. Todos querendo transformar o mundo e com interesses diferentes. Isso só gera guerra e conflito.

Melhor focar em transformação pessoal e da própria vida. Já da um trabalhão...! Se cada um fizer isso, seguindo as leis básicas de respeito ao próximo e os 10 mandamentos da Bíblia o mundo se transformará naturalmente...! Sem arrogância, pretensões de alterar o rumo da vida alheia, quiçá do mundo!

A simples discordância de um texto em uma imagem, obviamente gerou ofensas e venho aqui, publicamente me desculpar. Não tive a intensão de ofender ninguém. Apenas trazer uma reflexão sobre o sentido do trabalho. 

Me questionaram sobre pessoas diferentes terem opiniões diferentes e esse é exatamente o "x" da questão: um movimento crescente de pessoas com pensamentos diferentes, querendo provar pro mundo que estão certas (na tentativa de mudar o mundo). Não existe certo ou errado, somente abordagens distintas para as mesmas questões! 

Quanto ao trabalho, sigo com o pensamento que deve nos realizar e ser ferramenta para mudar nossas próprias vidas. As transformações ocorrem no mundo como consequência, sem que precisemos nos esforçar para isso.

O mundo é antigo demais para mudarmos qualquer coisa. Quando o homem pensa que mudou algo vem uma catástrofe da natureza para mostrar o quanto ela é soberana e o quanto o ser humano é infinitesimal nesse universo gigantesco que permeamos.

Vida que segue, com fé, amor no coração e respeito ao próximo. 

Mais uma vez, perdão se causei qualquer ofensa. Não foi mesmo a minha intenção!!

sexta-feira, 7 de julho de 2017

Refletindo sobre o DETOX

Resultado de imagem para detox
Coloquei a palavra DETOX no Google Imagens e o que encontrei? Só imagens de frutas, sucos e verduras... Vamos rever este conceito?

Acabei de receber um desses vídeos que fala em como se ter uma boa saúde, visão holística, alimentação saudável, rotina saudável, meditação, etc... E, depois de um longo jejum, me deu vontade de escrever... O tema de hoje é DETOX ou DESINTOXICAÇÃO, palavra que está em alta nos últimos tempos, mas que muita gente não apreende na totalidade.

Vamos lá. Detox é por essência colocar PARA FORA! O que mais tenho visto são pessoas buscando DETOX colocando para dentro... Tudo bem, entendo que a ideia por trás de um “suco detox”, por exemplo, é de promover uma limpeza no corpo, colocando algo para fora através de nutrientes antioxidantes e que estimulam o metabolismo, como o gengibre, por exemplo.

Tenho percebido que a ideia do detox na mente das pessoas, em geral, para por aí... De que adianta, uma mulher, por exemplo, tomar suco detox e inibir uma das maiores fontes desintoxicantes do corpo que é a menstruação? Sim, cada vez mais as mulheres têm deixado de menstruar, tomando hormônios que inibem a menstruação. Além de estarem promovendo um acúmulo hormonal estão inibindo uma das formas femininas mais fisiológicas de detox.

Outra tendência feminina moderna é a prática da musculação visando o ganho muscular exagerado. Atrelado a esta atividade está a ingesta de suplementos dos mais diversos e tome-lhe acúmulo, sobrecarga do organismo... Mais uma vez perde-se a oportunidade de desintoxicar através da atividade física, focando em uma atividade acumulativa. Onde está a explosão, o suor, a livre expressão corporal, a leveza desta atividade física? Que tal fazer um detox com aulas de artes marciais, danças e esportes que fazem suar, socializar, que trazem emoções como novos escores ou um simples gol?

Sobre a meditação, também cada vez mais indicada para uma boa saúde... Linda a teoria de "esvaziar a mente" de "mindfulness", entretanto, você concorda que para praticar uma atividade baseada na pausa mental é preciso dar uma esvaziada antes? Desintoxicar? Botar para fora?


Poderia me alongar com outros exemplos, mas como sei que textos longos geram preguiça nos leitores, que tem vidas cada vez mais corridas, vou encerrar deixando uma reflexão. Como você tem se desintoxicado? Vai ao banheiro todos os dias? Menstrua regularmente? Faz uma atividade transpirante? Canta? Dança? Grita? Chora? Como é a sua expiração? Fala-se tanto em respirar... Observe seu corpo. Desregulações nas vias desintoxicantes fisiológicas do organismo são o alerta mais simples: fezes, urina, menstruação. Atenção: nem tudo que se acumula aparece de forma tão corriqueira. Excessos podem se somatizar no organismo e se expressar através das doenças mais variadas: físicas e psíquicas. Afinal de contas, como já falei aqui, a comida é apenas um dos nossos cinco alimentos e todos eles podem gerar acúmulo físico. Faça um balanço de sua vida, avalie o equilíbrio entre o colocar para dentro e colocar para fora. Se perceber que tem uma tendência acumulativa no corpo, (isso vai do excesso de peso ao acúmulo de emoções) veja a melhor abordagem e busque um detox holístico (palavra vem do “whole” em inglês, ou seja: inteiro, logo, algo holístico nada mais é do que uma abordagem abrangente, integrativa). Boa sorte!

quinta-feira, 4 de agosto de 2016

Uma homenagem ao Dia Mundial da Amamentação

Oi pessoal! Estou viva!!! Um mês e meio que não escrevo nada por aqui... Um mês e meio viajando, sem rotina e me dando ao luxo de viver a vida real 100%, quase totalmente desconectada do mundo virtual. Volta e meia faço isso... Computador eu já quase não uso há muito tempo, meu acesso à internet se restringe ao celular, onde malmente respondo àlgumas mensagens no WhatsApp e devo acessar o Facebook por no máximo 5 a 10 minutos durante o dia.

Primeiro de agosto foi o dia da amamentação é uma amiga publicou um texto lindo. Ela me autorizou e compartilho com vocês. 

Espero que sirva de inspiração para muitas mamães e futuras mamães... Um beijo para vocês!



1° de Agosto - Dia Mundial da Amamentação.

De todas as coisas que experimentei nessa vida, nada foi tão árduo e prazeroso como amamentar. Eu me preparei para amamentar. Fiz consultorias, usei soutien próprio, tomei sol quando pude para fortalecer o peito e evitar rachaduras nos mamilos. Tinha pomadas para eventuais rachaduras, convicção de como era a pega correta; tomei mingau de milho, mugunzá, comi bolo de fubá... Eu tinha tudo e havia feito de tudo. Quando Marina nasceu, em três dias meu peito estava destruído. Em cinco, além dos mamilos rachados, eu tinha um peito empedrado e hematomas. Tirava leite na bomba, dava a ela na colher. Mal acabava de ordenhar, já era tempo de dar a nova "mamada". Tarefa Hercúlea que me exauria fisicamente quando psicologicamente eu já estava esgotada. Eu tinha muito leite e uma bebê faminta. Eu tinha medo da mamadeira, dela desmamar. Eu havia me instruído e sabia dos riscos. Nunca vou esquecer do dia em que meu marido saiu de casa às sete da manhã para comprar um bico de silicone para mamilo e me deixou com Marina aos prantos. Quando voltou me encontrou cantando baixinho na intenção de acalmá-la, já que dar o peito, que ela tanto me pedia, já não era possível. O bico de silicone não funcionou também, mas eu não desisti. Eu não desisto fácil e sabia o quanto era importante pra mim porque era importante pra Marina. Dei tempo para o peito cicatrizar um pouquinho, cuidei bastante do que tive mastite e no primeiro sinal de menos dor, lá estava minha pequena mamando.
Amamentar não é fácil para todas. Mas é precioso demais quando se consegue. Quando a dor vai embora (amamentar não dói), restam apenas o amor, a troca de olhares, a felicidade de ser o melhor alimento que seu bebê precisa para se desenvolver com saúde. Você se torna inatingível, escudo, vacina. E enquanto você nutre ele com seu leite, ele lhe nutre com um amor indescritível. E sorri. Esse foi o primeiro sorriso que registrei de Marina enquanto a amamentava. Ela tinha em média 15/20 dias e um brilho no olhar que em 33 anos, eu jamais havia conhecido.💓

Helga Cordeiro, agosto de 2016

sexta-feira, 17 de junho de 2016

Celebrando a amizade


Nada como reencontrar uma amiga de longas datas pra se inspirar a quebrar o jejum de textos no blog, não é mesmo?

O tema de hoje é meio óbvio: amizade! 

É um tema meio clichê, que já foi tão bem descrito por tantos autores e poetas, que é sempre desafiador...

Sou muito jovem ainda, mas graças a Deus tenho a sorte de ter amizades de uma, duas e até três décadas! É incrível encontrar fotos antigas e perceber que foram tiradas há 10, 20 ou mais anos com pessoas que estão presentes em sua vida até hoje. 

Melhor ainda, é sentar e conversar com aquela amiga (ou amigo) que por circunstâncias da vida você passa a encontrar uma vez ao ano ou até com menos frequência e sentir que as vidas de cada uma mudaram drasticamente, os assuntos também, mas que o papo flui e a sinergia permanece a mesma. São dessas coisas na vida que dizemos não ter preço! 

Minha vida me colocou em situações onde meus ciclos de amizade foram sendo cada vez mais reduzidos, por que não dizer, filtrados? Após inúmeras mudanças de país, estados e/ou cidades, o tempo em nossa terra natal vai ficando cada vez mais escasso, raro... O tempo nas cidades de residência às vezes tão curtos que permitem poucos laços de verdade... Após a maternidade então, piora bastante a disponibilidade de tempo para dedicar a fazer e manter amigos. Assim, aquelas amizades que superam todos esses obstáculos ganham então um valor ainda mais especial. 

Minhas maiores amizades são as de infância e adolescência, o que não diminui a importância de grandes pessoas que conheci já na fase adulta. Acho, entretanto, que após a primeira década, uma amizade que se mantém (além do mural do facebook) têm um valor diferenciado. 

É isso! Vou fechando meu texto celebrando as grandes amizades que a vida me deu e continua me dando. Que venham muitos encontros, papos, risos e lágrimas! Amigos são certamente um dos maiores motivos para fazer alguém querer Beijar o Padeiro diariamente!