sexta-feira, 30 de novembro de 2012

Esteja sempre à frente: domine outro idioma!!!

Imagem retirada do Google Imagens

Semana passada escrevi um post falando sobre mudanças e coloquei nele um link de um artigo contendo um teste de perfil profissional: bom não somente para quem busca mudanças, como também para autoconhecimento.

Hoje, o artigo sobre o qual me referi na semana passada, que tinha sido publicado no site www.marketwatch.com em inglês, foi traduzido para o português e publicado no site do Infomoney. A diferença, é que no link da semana passada, você obtém um resultado generalizado e depois pode clicar para ver o resultado mais detalhado e no site traduzido eles só dão a resposta generalizada. 

O que podemos concluir? Ponto para quem domina o inglês! Tanto por poder ler essa (e outras) matérias de forma mais completa, no idioma original, quanto por poder estar sempre à frente do seu tempo. Esse é apenas um exemplo, mas isso acontece o tempo todo, em todas as áreas. No mundo globalizado que vivemos, as referências se tornaram internacionais e o mundo está ao alcance de um "click". Dominar outro idioma pode ser decisivo para se diferenciar entre ser considerado proativo ou atrasado. Nunca é tarde para  estudar, aprender e se desenvolver...

Fica a dica para quem anda postergando a ideia de estudar idiomas e principalmente o inglês. O ano está acabando e se este é o seu caso, espero que este texto sirva de motivação para que coloque a meta: IDIOMA, na listinha de 2013.

Para quem ainda não fez o teste: espero que gostem e fiquem inspirados com os resultados!! 

Beijos e ótimo final de semana!

Sincronicidade: você acredita?

Já andei falando sobre esse tema aqui antes, nos textos:


Acho que nem preciso dizer o quanto as sincronicidades estão presentes nas mínimas coisas em minha vida... Ontem, mais uma!!

Foto por Camila Lisboa

Estava estudando ao som de Geraldo Azevedo, que amo! Aí lembrei dos dois shows que fui dele e o quanto tinha adorado (escuto sempre Geraldo Azevedo e nunca fico me lembrando dos shows...). Daí publiquei no facebook perguntando se alguém sabia se ia ter algum show dele em Salvador, já que vou passar o verão por lá...

Não obtendo nenhuma resposta, resolvi entrar, pela primeira vez em seu site, para ver a programação dos shows. Não consegui acreditar no que os meus olhos estavam lendo. Naquele mesmo dia (ontem) haveria show dele em BH (onde moro!).

Liguei para o lugar (que nunca tinha ido), para saber se tinha ingresso ainda. Fui informada que sim.

Aí fui olhar o mapa para saber onde era o teatro... Mais uma sincronicidade. A cinco minutos a pé de minha faculdade, onde precisaria estar até pelo menos 20:30, sendo que o show estava marcado para 21:00.

Enfim, deu tudo certo. Fui para a aula, cheguei à tempo de comprar meu ingresso, consegui sentar no meio do palco, na quarta fileira e me arrepiei com a voz desse cantor e compositor maravilhoso!!


É isso aí... Quando buscamos viver em harmonia com o meio e atentos à nossa intuição, às coisas chegam até a gente... É como se tivéssemos uma antena que liga nossa vida, às nossas possibilidades e interesses... TUDO!!!!

Como diriam os Titãs: "As ideias estão no chão, você tropeça e acha a solução!"

Não gravei mais, pois é muito chato segurar o celular ao assistir um show...! Só um pouquinho para deixar quem também gosta dele com água na boca! =)


quinta-feira, 29 de novembro de 2012

10 dicas sustentáveis de moda e beleza

Quem leu meu último texto deve estar sem entender nada vendo isso aqui... Bem, é que na verdade, quando fui procurar as fotos para ilustrar o texto: Desabafo de uma quase nada vaidosa, percebi que, sem saber, tenho um modo bastante "sustentável" de lidar com a moda e resolvi compartilhar (com exceção da minha coleção de óculos, que confesso ser um pouco exagerada para um par de olhos... Mas, todo mundo tem seu ponto fraco, não é mesmo?)

Dizer que sou totalmente sem vaidade é exagero, na verdade, é tudo uma questão de parâmetro e foi assim que me senti depois de acessar o blog da minha xará: www.supervaidosa.com. Então, o título do post, foi mais um trocadilho do que tudo.

Vou dar as minhas dicas sustentáveis de moda e beleza:

1) Evito usar maquiagem por dois motivos: 
  • O primeiro é para preservar a minha pele, pois tenho a sensação que mesmo que a maquiagem seja da melhor qualidade possível, não é interessante ficar entupindo os meus poros e impedindo a pele de respirar e fazer trocas de absorção e desintoxicação, com o meio.
  • O segundo, é porque acho que o charme da maquiagem está em justamente ter um look diferenciando em ocasiões especiais. Como apreciadora de todo tipo de arte, neste caso, já que a ideia é caprichar no look, acho que vale a pena sim investir em produtos de qualidade e procurar fazer algo bem lindo, para deixar a auto estima lá em cima! Afinal, toda mulher merece alguns dias de princesa na vida...!
2) Se você tem a pele bonita, para que esconder? Em minha opinião nenhuma maquiagem se compara ao brilho natural de uma pele saudável... Se a sua pele não é tão bonita assim, a chance de piorar com o uso abusivo de maquiagem só aumenta... Melhor caprichar na alimentação (a beleza da pele vem de dentro para fora) e manter-se naturalmente coradinha: sua vitamina D agradece. Se o sol é rarefeito onde mora, que tal usar um blush natural de beterraba?

3) Falando em vitamina D, acho um exagero usar filtro solar no dia-a-dia a menos que se esteja fazendo algum tratamento dermatológico. Muita gente coloca até para ficar em casa, andar de carro, fazer curtos percursos a pé e ficar dentro de um escritório. Eu, me ENCHO de filtro solar, somente quando me exponho longamente ao sol: na praia, clube, fazendo trilha, etc... No resto do tempo, considero o risco de deficiência de vitamina D maior do que o de ter com câncer de pele.

4) Compras: Sempre fugi de modas e adoro looks básicos e clássicos. Chique para mim é sentir-se confortável e poder usar as mesmas roupas de dez anos atrás (sinal de que está mantendo a forma). Descubra as cores que lhe caem bem, os modelos que são mais adequados ao seu tipo de corpo e seja feliz, independente da moda... Eu mesma, fico péssima de calça com o cós muito baixo - não favorece nem um pouco o meu quadril largo. Invista em peças coringas: uma boa calça jeans, um pretinho básico. Lembre-se que alguns baratos saem caros e tente controlar o impulso nas promoções. Não é por que está super barato que você precisa comprar. Reflita muito sobre a utilidade daquela peça em seu guarda-roupa. Menos é sempre mais!

5) Cabelos: Nunca dei bola para esses shampoos caros, pois a genética e alimentação me ajudaram neste sentido. Na verdade, sempre maltratei meu cabelo com shampoos bem vagabundos e quando as pontas ficavam quebradiças (por ser muito fino, embaraça demais), cortava e pronto! Sempre achei mais prático cortar do que cuidar... Entretanto, recentemente resolvi fazer umas mechas (morando em BH, o louro natural, que precisava de sol - abundante o ano inteiro em Salvador e rarefeito por aqui - não sobreviveu...) e estou tentando deixar crescer, aí resolvi investir em uns shampoos recomendados pelo cabeleireiro. Sinceramente, não sei se está fazendo alguma diferença, mas quem entende do assunto, diz que faz sim! Daqui a um ano dou meu depoimento neste assunto.

6) Cremes para a pele: Pessoalmente detesto a textura de cremes na pele. Sinto-me grudenta (já basta o filtro solar quando vou à praia e não tem jeito). A sensação que me dá é que acabei de sair do banho limpinha e estou me sujando... Além disso, com uma boa alimentação, a pele tende a ser naturalmente brilhante e hidratada. Entretanto, minha super vaidosa irmã, me presenteou no último Natal com um esfoliante com sais do mar morto, acompanhado de um creme. Confesso que adoro quando uso os produtos... Só não tenho disciplina para usar sempre! Para quem estiver atrás de alguma indicação, são da marca Premier: dead sea minerals. No cotidiano, adoro uma boa bucha vegetal para eliminar as células mortas da pele e junto com elas, fazer descer pelo ralo toda a energia pesada que absorvemos por nosso maior órgão: em contato direto com a poluição, as ondas eletromagnéticas e a energia caótica do mundo lá fora. Além disso, uma boa esfregada na pele ativa todo o sistema circulatório periférico, que é excelente energéticamente e também para melhorar a saúde de epiderme (falo sobre isso em uma matéria que publiquei este ano na Revista dos Vegetarianos sobre o Colágeno).


7) Unhas: Já até postei sobre isso. Fui viciada em esmaltes durante muito tempo e apesar de achar unhas feitas lindas, elas são incompatíveis com quem cozinha diariamente. Sem contar, que em excesso estragam mesmo a beleza natural das unhas e você se torna escrava. Deixo a manicure, assim como a maquiagem, hoje em dia, para ocasiões especiais. No cotidiano, mantenho as unhas curtas, ao natural, faço polimento e hidrato as cutículas. Falei sobre isso por aqui em um vídeo. Uso os produtos também da Premier: dead sea minerals, mas a marca Granado, também tem um ótimo hidratante de unhas e cutículas.


8) Acessórios: Para mim são mais importantes do que roupas. A mesma calça jeans e camiseta branca, pode parecer completamente diferente a depender do acessório que use. Não precisa ser nada caro, pelo contrário, peças artesanais costumam ser lindas e originais (e ainda de tecido que é bem mais sustentável do que couro). Eu, pessoalmente, não tenho muita paciência com bijoux, prefiro variar bolsas, lenços e sapatos... Aí é uma escolha pessoal. Não precisa ter um mundo de coisas e sim peças coringas, fáceis de usar e mesclar!

9) Sapatos: Se você se locomove de carro e trabalha sentada, não vejo grandes problemas no uso cotidiano de salto alto. Mas se você anda de transporte público, a pé e passa muito tempo andando no trabalho, acho mais sensato investir em sapatilhas e sandálias rasteiras confortáveis e deixar os saltos para ocasiões especiais. Já tive os dois tipos de rotina e para mim são decisivos na escolha do "look". Sofrimento no dia-a-dia, jamais! Beleza sim, mas conforto em primeiro lugar!! 

10) Roupas e cuidados íntimos: Dá pra ter umas lingeries diferentes, também para ocasiões especiais. Mas, prefiro investir em peças 100% algodão, de preferência orgânico. Quanto à estes sabonetes, microbicidas, especiais para partes íntimas, sou radicalmente contra. Já falei sobre isso por aqui... Melhor buscar um sabonete natural, glicerinado... A saúde íntima da mulher, agradece!

BÔNUS:
Óculos de sol: Como meus olhos são claros, tendo a apertá-los ao sol, o que é péssimo para quem quer retardar o aparecimento de rugas. Além disso, esteticamente acho que é um acessório que dá um toque todo especial no visual. Gosto de investir em boas marcas, pois morro de medo de prejudicar a minha visão com "lentes vagabundas". Como no Brasil são muito caros, deixo para comprar quando viajo. Diria que este é meu pecado da moda, nada sustentável, por isso deixei para o fim do post. Ninguém precisa ter mais de 10 óculos de sol, basta um bom. Para diminuir a culpa sempre empresto alguns, por períodos indeterminados, para minha mãe e irmã e quando recebo de volta é como se tivesse adquirido uma peça nova! Ter esse ponto fraco é ótimo para entender e respeitar quem tenha 10 calças jeans ou um super kit de maquiagem... Cada doido com a sua mania! Para mim, óculos são como lenços no inverno, cada dia quero usar um diferente!

Obs.: Tenho uma boa coleção de lenços também, faço o mesmo esquema de trocas e empréstimos com minha mãe e irmã, mas considero uma ideia sustentável, pois são bem mais baratos que roupas e podem transformar a mesma roupa em 10 diferentes! No inverno mesmo, pouco importa a roupa, só o que aparece é o casaco e o cachecol. Peça coringa para o frio!

Selecionei algumas fotos minhas com óculos distintos, fazem ou não toda a diferença no look?!? ADORO!!






Comprei essa camisa aos 14 anos de idade e tenho até hoje!!!


Pashminas + óculos de sol = adoro essa combinação!




Será que gosto de me vestir de verde? Apareço com algum item verde em 6 das 11 fotos selecionadas... Só percebi isso depois de postadas... risos!

quarta-feira, 28 de novembro de 2012

Focaccia com farinha orgânica sem açúcar

Em setembro, quando voltei do Festival de Gastronomia de Tiradentes, escrevi um post prometendo uma receita de focaccia, que aprendi em uma oficina que participei por lá. Pretendia testá-la antes de postar aqui no blog, mas com tanta correria de trabalho, faculdade e viagens, acabei não tendo tempo...

Foto tirada durante a oficina em Tiradentes

Ontem recebi um e-mail de uma leitora me cobrando a receita... Então, primeiro vou me desculpar pela demora e vou postar aqui, mesmo sem ter testado, o passo a passo, que copiei durante o curso com o Padeiro Chef Máster - Marcos Carnero. Só preciso dizer uma coisa: A MELHOR FOCACCIA que já comi na vida e não contém açúcar. É de farinha branca, afinal o charme da receita é a sua leveza (que contem 70% de água). Marcos disse que dá para fazer misturando a farinha integral, mas não testei para saber o resultado... Entretanto, por ser algo que faria em ocasiões especiais, não vejo problema em usar farinha branca, principalmente sendo orgânica. Como sempre digo por aqui: uma coisa é a rotina, outra coisa é a exceção!

Se alguém fizer, por favor, me mande o feedback, se possível com fotos, ok?!?

Beijos e aproveitem que é uma delícia!!!

ATENÇÃO: Você vai precisar de no mínimo 4 horas para fazer esta receita, logo, reserve tempo...

Ingredientes:
35g de fermento biológico fresco (em bloco) ou 10g de fermento biológico (em pó)
750ml de água mineral gelada 
1kg de farinha de trigo branca orgânica (neste dia ele usou a Farinha de Trigo Manitoba da Molino D´oro)
Azeite de Oliva
Sal grosso (de preferência Sel de Guérande - o melhor do mundo, já falei sobre ele aqui no blog)
Alecrim fresco

Foto por Camila Lisboa

Preparo:
Mistura 500g da farinha com o fermento e vai adicionando a água aos poucos. Depois deixa a massa descansando por 30 minutos, coberta com um pano.
Depois de 30 minutos, tempera a massa com 2 colheres de azeite de oliva, uma pitada de sal grosso e um "toque" de alecrim (ainda vai ter mais, agora é só para aromatizar a massa).
Agora, acrescenta mais 500g de farinha à massa. Estica a massa de baixo para cima, abrindo e fechando-a, como se estivesse dobrando um guardanapo. 
A massa tem que ficar com a consistência do lóbulo da orelha, uniformemente. Quando chega nesse estágio, coloca a massa para descansar por mais 40 minutos.
Depois estica a massa numa assadeira untada com azeite, com uma espessura de 2,5cm. Tempera com azeite de oliva, alecrim e sal groso a gosto (neste dia temperamos uma assim e outra com uma caponata que fizemos com outro chefe). 
Agora deixa a massa crescer por 30 minutos na assadeira, antes de levar ao forno.
Obs.: Nada de deixar a massa crescer "abafada". Sempre à temperatura ambiente, neste dia estava bem frio, inclusive - fim do inverno em Tiradentes...

A massa crescendo antes de ir ao forno (foto por Camila Lisboa)

O forno:
Pré-aquecer o forno à 260 graus antes de colocar a focaccia. Ela deverá ficar assando por 18 minutos. A temperatura inicia em 260 graus e vai sendo gradativamente reduzida até 180 graus ao longo destes 18 minutos. Depois disso, é só tirar do forno, desenformar e se deleitar...!

 Saindo do forno (foto por Camila Lisboa)

Hora de provar! (foto por Camila Lisboa)
Observação:
Você pode optar em deixar o pão fermentando por 12 horas. Neste caso só precisa usar 2g de fermento biológico (em pó) para 1kg de farinha.

Educação alimentar para jovens

Mais um excelente texto compartilhado pela colaboradora do blog, Paula Savino da empresa de alimentos orgânicos: Ecobras. Ótimas dicas para a educação alimentar das crianças e adolescentes!

A educação é a melhor forma de promover mudanças sólidas!

Beijos e boa leitura! =)
Imagem retirada do Google Imagens


"ORIENTAÇÃO PRÁTICA DA CULINÁRIA ORGÂNICA PARA AS CRIANÇAS

Quando as crianças entram na puberdade seus organismos produzem uma série de hormônios para o crescimento e desenvolvimento. Estas mudanças podem causar uma mudança de comportamento diferente do usual na tentativa de manter um equilíbrio.

Durante este período elas são atraídas a alimentos externos diferentes dos usuais. É, portanto importante, que prestemos uma maior atenção neste momento a sua alimentação.

Nesta fase pergunte as crianças que tipos de alimentos elas querem consumir e prepare-os procurando usar o máximo de ingredientes naturais de qualidade. Use criatividade e imaginação para preparar uma variedade de pratos atraentes e inclua regularmente em suas dietas pratos mais ricamente preparados feitos com uma variedade de ingredientes em ordem de competir com os alimentos não saudáveis que a maioria das crianças consome hoje em dia. Se os alimentos oferecidos forem muito simples e de aparência sem graça ou carentes de variedade, elas não se sentirão atraídas e irão procurar por outros tipos de alimentos.

É importante também que elas possam também consumir um volume adequado de alimentos, pois durante a puberdade elas crescem e se desenvolvem muito rapidamente e são muito ativas e quando saudáveis tem um grande apetite.

Prepare alimentos de fácil preparo, pois se elas estiverem famintas e o alimento não estiver disponível será difícil para elas aguardarem por um alimento que ainda vai ser preparado e sairão em busca de algum lanche qualquer para preencher a fome imediata. Quando a refeição já está pronta quando elas chegam da escola, elas ficam menos ansiosas e comem menos.

Alguns pais costumam visitar a escola de seus filhos e reportam a direção os seus interesses e informações sobre uma alimentação mais natural e equilibrada. Eles levam amostras de alimentos naturais para os estudantes experimentarem e discutem a importância de uma dieta equilibrada com os alunos e professores. Mesmo quando a criança já está no 1º ou 2º grau os pais podem conversar com o diretor principal da escola e requerer que alimentos de qualidade ou pratos vegetarianos sejam incluídos no cardápio diário.

Cada pessoa envolvida ficará provavelmente surpresa de saber que muitas crianças acolhem bem a opção de uma dieta mais natural. Esta é uma forma dos pais mostrarem para as crianças o quanto eles se preocupam com eles e seus colegas.

Durante a adolescência as crianças se tornam mais independentes e algumas crianças já tem ideias sobre o que elas gostariam de incluir em seus menus diários. 

Os pais e professores devem envolvê-los na culinária e no planejamento do cardápio. Pergunte o que eles o que gostariam de fazer e envolva-os na seleção dos alimentos e da preparação que os tornarão mais atentos e interessados nos assuntos relacionados à alimentação.

É importante também que elas aprendam a preparar alimentos básicos de forma que eles possam se virar quando estiverem viajando ou dormindo fora de casa. Ofereça as crianças uma mini aula de culinária e mostre a elas como preparar alimentos básicos como cereais integrais, sopas, feijões e seus derivados, macarrões, vegetais, saladas, sucos de frutas e sobremesas simples.

Considerações importantes para orientação das crianças com relação à culinária orgânica:

1) Leve as crianças ao supermercado ou lojas de produtos alimentícios que comercializam alimentos orgânicos e demonstre como se escolhe alimentos orgânicos e naturais de alta qualidade. Ensine-os a ler os rótulos para identificar o que eles vão ingerir e explique porque certos alimentos são mais adequados enquanto outros devem ser evitados.

2) Mostre como a cozinha deva ser mantida em ordem. Ensine as crianças porque a manutenção de limpeza da cozinha é importante para a saúde e bem estar de todos. Incentiva-as regularmente a ajudar com as tarefas simples da cozinha como lavar pratos, varrer o chão e guardar os utensílios.

3) Ensine-as a lavar os alimentos e porque a limpeza adequada dos alimentos é um primeiro passo importante na culinária.Deixe-as experimentar com uma supervisão para que elas aprendam a tratar o alimento com cuidado e respeito.

4) Mostre para que serve cada utensílio e como usá-los de maneira  adequada.

5) Ensine-as os diversos cortes dos vegetais através de técnicas básicas e a como usar uma faca de maneira adequada e segura e como amolar a faca.

6)Ensine-as a preparar pratos básicos de cada categoria de alimentos.Comece com pratos simples e gradualmente progrida para pratos que envolvam maiores preparações.Explique claramente e demonstre cada passo do processo de culinária e deixe-as tentar fazê-lo por elas próprios com supervisão e direção quando necessário.

7)Ensine-as a preparar pratos básicos medicinais e como fazer preparações medicinais simples como chás e bebidas medicinais e também emplastos e compressas medicinais externas.

8) Ensine-as a balancear a energia de cada alimento.A compreensão da energia dos alimentos, talvez seja a ferramenta mais importante de todas.Estes princípios podem ser explicados de maneira muito simples usando exemplos de alimentos na cozinha. Explique que a alma da culinária orgânica está na criação da harmonia em nossas refeições equilibrando estes fatores primários.

Idealmente a escola do futuro deverá servir alimentos orgânicos e naturais equilibrados preparados diariamente de acordo com os princípios da culinária orgânica. Os chefes de cozinha serão selecionados entre pessoas que tenham estudado a culinária orgânica e trabalharão com os pais na determinação do planejamento do cardápio diário. A preferência da escolha de alimentos orgânicos cultivados localmente também contribui para a saúde e bem estar de toda a nação.Paula Savino - Ecobras

terça-feira, 27 de novembro de 2012

Diga NÃO ao Ato Médico


Imagem retirada do Google Imagens

Quem acompanha meus posts, sabe que eu já andei falando em política por aqui (pois para mim saúde e liberdade de escolha estão intimamente relacionadas) e que sou a maior defensora da DEMOCRACIA!! É ainda a única coisa que nos sobra de bom na política deste país de corruptos!! 

Pois então, você sabia que estão querendo cercear o direito de escolha e a liberdade dentro da área de saúde?!? Isso mesmo!!! Você já ouviu falar sobre o ato médico? Mais uma tentativa de roubo da democracia em nosso país. Ontem, fui informada pelo Dr. Zayit Naturopada, que recebeu informações diretamente de Brasília do Dr. Márcio Bontempo que a galera do planalto voltou a mexer os pauzinhos para  violar os direitos humanos na área da saúde. Abaixo carta enviada do Dr. Márcio para o Dr. Zayit, com pedido de divulgação.


Imagem retirada do blog: http://livinhacastrioto.wordpress.com

Zayit, 

ATENÇÃO!! 

Uma manobra ardilosa de ultima hora aqui em Brasília. repasse para todos. 

O Senado Federal, votará o conhecido projeto denominado Ato Médico, supostamente para a - desnecessária - "regulamentação" da carreira médica, na Comissão de Educação, na terça-feira, dia 27. Como imaginávamos, a entrada do projeto de regulamentação da carreira médica (Ato Médico) na pauta da Comissão de Educação do Senado se deu subitamente, ardilosamente eu diria, num final de ano conturbado e à véspera do recesso, com pouquíssimo tempo para mobilização.

O PL em questão firma a reserva de mercado do médico, com limitações de ação para outras profissões de saúde, como nutricionistas, enfermeiros, fisioterapeutas, etc. e com muito prejuízo para naturopatas, terapeutas holísticos e naturistas, acupuntores e homeopatas não médicos.

A comissão votará o Substitutivo da Câmara dos Deputados (SCD) ao PLS no 268 de 2002 a partir das 11h. A presença maciça de todos os profissionais não médicos interessados é imensamente importante para mostrar a mobilização e o interesse das demais classes envolvidas com essa matéria. O relator do Projeto é o senador Cássio Cunha Lima (PSDB/PB) e essa não será uma votação tranquila para os médicos.

A participação de todos foi essencial na última votação na Comissão de Constituição e Justiça e na audiência pública ocorridas no primeiro semestre, da qual participamos representando a Federação Brasileira de Medicina Tradicional. Depois desta votação, o projeto vai para a votação terminativa na Comissão de Assuntos Sociais. A vitória neste momento é indispensável. É um momento histórico e a presença de todos é indispensável. 

ESTAREMOS LÁ!!!!
Peço que divulguem.
Marcio Bontempo


Abaixo, um breve resumo sobre o Ato Médico, divulgado pelo Instituto Sedes Sapientiae

O que é o projeto de lei do ato médico: 
•O Projeto de lei 025/2002, que institui o Ato Médico, de autoria do ex-senador Geraldo Althoff (PFL/SC), e o substitutivo apresentado pelo senador Tião Viana (PT-AC), condiciona à autorização do médico o acesso aos serviços de saúde e estabelece uma hierarquia entre a medicina e as demais profissões da área de saúde.

Como nos afeta: 

• Da forma como
se encontra o projeto há uma invasão ao campo de atuação das demais profissões da área da saúde, determinando uma hegemonia aos médicos no trato com a saúde. 

• O Projeto ainda define a preponderância do médico na chefia e liderança das equipes de saúde, como se o saber médico estivesse acima das demais profissões.

Porque dizemos não ao ato médico: 

•Os médicos são nossos parceiros nas equipes de saúde, mas não deveriam ser vistos como profissionais hierarquicamente superiores. Da forma como o projeto se encontra, ele limita ao médico a prescrição terapêutica. E o que é isso? É todo o encaminhamento que se dá ao paciente! Ficariam, todas as demais profissões regulamentadas da área da saúde, à mercê de uma designação médica. 

•Doze, das quatorze profissões da área da saúde posicionaram-se de forma veemente contra este projeto. (Biologia, Biomedicina, Educação Física, Enfermagem, Farmácia, Fisioterapia e Terapia Ocupacional, Fonoaudiologia, Nutrição, Odontologia, Psicologia, Serviço Social e Técnicos em Radiologia).



APOIE, PARTICIPE DA CAMPANHA CONTRA O ATO MÉDICO!


Instituto Sedes Sapientiae

setembro, 2004

Imagem retirada do Google Imagens

Se você quer continuar tento o direito de escolher o profissional da área de saúde com quem vai se consultar, sem precisar de um "aval" de outro médico para isso, colabore com essa campanha! As coisas nesse país do jeito que são, já são burocráticas demais... Imagine se tudo na área de saúde tiver que passar sempre pelas mãos de um médico? Vai ser um caos!!! 

Clique neste link e participe da petição pública PRESIDENTE DILMA, VETE O ATO MÉDICO!

Imagem retirada do Google Imagens

Quer saber mais? Achei esse site com explicações bem ilustrativas sobre o tema na hora que fui buscar as imagens para esse post. Basta clicar aqui!

segunda-feira, 26 de novembro de 2012

Penso, logo sou incoerente - por: Teté Lacerda


Compartilho hoje com vocês o texto de uma grande amiga e blogueira, Teté Lacerda. Ela já apareceu por aqui antes, colaborando com foto para ilustrar um post e também uma ótima entrevista com dicas alimentares para viajantes (sua especialidade!). Nem preciso dizer que me identifiquei com o texto e achei a cara do blog... Espero que gostem!!! Beijos
Foto retirada do perfil do facebook da autora do Texto: Teté Lacerda
"Antes de começar a despejar aqui meus devaneios, preciso dizer que sim, tenho princípios que guiam minha vida, crenças e estilo de vida.
Mas já me desvencilhei de certezas inabaláveis, verdades absolutas, convicções inquestionáveis. Como já falei aqui no blog, já fui vegetariana, parei para estudar budismo, afirmava coisas – tal universidade é boa, essa viagem é cafona, isso tem que ser feito. Eu era mais, digamos, radical, sobre certas coisas. Mais tarde, (felizmente) desconstruí todas essas ideias.
E cheguei a conclusão que a vida é muito curta para ficarmos presos em dogmas, afundados em ideologias, parados em um só estilo de vida, em opiniões que não mudam.
Não aguento a repetição, a falta de transformação, o mundano. Tenho vocação para o novo, sou inconstante.
E então pergunto – temos que ser sempre coerentes?
Não digo para esquecermos ou ignorarmos nossa raízes, afetos, essência, respeitos… Claro que temos nosso alicerce, que nos dá referências, do bom e do ruim.
Mas e a inquietude? A intuição? A coragem? O desejo? O desapego?
Vida é movimento.
Somos essa “metamorfose ambulante”, obras “in the making”, inacabadas.
Somos muitas coisas para ser só nós mesmos.
E se somos muitos, são muitas as coisas que nos motivam, que nos frustram, que nos comovem, que nos movem.
Por isso, decidi não me cobrar tanta coerência.
Woody Allen já dizia “coerência é o fantasma das mentes pequenas”.
O que me cobro, sim, é a vivencia, experimentação, o questionamento, idas e vindas. A mudança. O recomeço.
A pedra só acumula limo se ela não girar.
Me cobro a descoberta.
Qualquer tipo de viagem, desde que conheça algo novo.
Qualquer tipo de mudança, desde que me tire da zona de conforto.
Qualquer tipo de arte, desde que me chame a atenção.
Qualquer tipo de papo, desde que me faça pensar.
Qualquer tipo de comida, desde que me provoque uma sensação.
Qualquer tipo de filme, desde que me emocione.
Alguma coisa que me estimule, que me mexa.
Somos coerentes e incoerentes – uma hora pensamos nisso, outra hora acreditamos naquilo. Gostamos um pouco disso, depois pela disciplina, recorremos àquilo. Não só isso, nem só aquilo.
Pensamento também é movimento.
E como achar a incoerência na coerência?
Amor? Incoerência.
Segurança? Coerência.
Aventura? Incoerência.
Disciplina? Coerência.
Religião? Prefiro não comentar.
Espiritualidade? Incoerência.
Educação? Coerência.
Conhecimento? Incoerência.
Morte? Coerência.
Vida? Pura incoerência.
Deus? Coerência na incoerência. Ou melhor, depende do momento.
Existe uma crença, mas tem horas que sei que Ele acredita mais em mim do que eu nele.
Tem momentos que  só o silêncio responde.
Há momentos mais Dalai Lama, outros mais Steve Jobs.
Como também tem horas Madre Teresa, bem diferente das horas Freudianas.
Mas o importante é rir de si mesmo, e independente dos dias, tentar, mudar, retomar, procurar, revirar, desligar e quem sabe achar essa inconsistência, opa! incoerência." Teté Lacerda - www.escapismogenuino.com.br

As seis vantagens de ingressar numa nova faculdade/profissão



Vantagens:

1) Você tem maturidade suficiente para valorizar o curso desde o 1 semestre e leva tudo muito mais a sério. Muito maio aproveitamento do conteúdo em geral.

2) Inteligência emocional: a certeza de que no fim tudo vai dar certo e que não vale a pena se estressar por uma prova ou trabalho...

3) Você normalmente começa o curso já sabendo quais são as suas metas, como é o seu perfil profissional... Assim consegue focar em objetivos a longo prazo desde cedo.

4) Você já experimentou o mercado de trabalho em outra área e sabe na prática que sobra espaço para os bons e que os medíocres ficam para trás (a menos que tenham um super QI - quem indique).

5) Você já sabe como é a vida, que existe gente de ética no mercado, mas que tem muita malandragem e safadeza... Assim, a ingeniudade fica um pouco calejada e você não sofre tanto de decpção com a raça humana.

6) O tempo rebelde ficou para trás. Você já sabe que não vale a pena ficar discutindo com professor... Faz o que ele quer e pronto. Polêmicas criam desgaste desnecessário, que se resume em perda de tempo...

Desvantagens:

1) Trabalhos em grupo! Para mim não tem nada pior: se juntar com pessoas que você não tem afinidade para fazer uma coisa... Ninguem escolhe parceiros ou sócios na vida que não tenha uma ótima relaçao. Esse problema é acentuado logo no início do curso, quando precisa escolher no escuro colegas para formar grupos...

2) Haja saco para agüentar uma turma de gente mais nova (se o novo curso for noturno melhora um pouco, porque o perfil de estudantes é normalmente de pessoas mais maduras, que dão duro durante o dia e valorizam muito a oportunidade de estarem estudando à noite...). Se o curso for matutino ou vespertino e ainda particular respire fundo e se prepare para aturar muita conversinha em sala de aula, fofoquinhas e comportamentos típicos de muito filhinho de papai mimado que não quer nada com a hora do Brasil e vai pra faculdade fazer social.

3) Provas e trabalhos. Você está fazendo a faculdade por que quer. Está investindo o seu tempo e dinheiro nisso. Não precisa provar isso para os outros e ser "regulamentado" de quanto, quando e o que estudar... Isso sem falar naqueles professores que elaboram provas cheias de pegadinhas e decorrebas, que avaliam mais a sua capacidade de distinguir um ponto de uma vírgula, do que a real compreensão da matéria...

4) O porre das chamadas! Aqueles professores que fazem chamada no primeiro minuto da aula ou no último minuto... Se chega atrasado ou vai embora mais cedo tem que ficar adulando para "tirar a falta". Para completar, isso faz com que muita gente permaneça em sala de aula (esperando a hora da chamada), conversando e atrapalhando quem realmente está afim de assistir a aula...

5) Matérias básicas: tenha paciência... Você não nasceu sabendo o que era uma ABNT e vai ter que entender quando seus colegas não souberem montar uma apresentação bacana ou fazer uma referência bibliográfica.

6) Se é o segundo curso, muito provavelmente continuará trabalhando durante o dia e estudará durante as noites... Ninguém merece ter todas as noites comprometidas em sala de aula... É cansativo, principalmente pois muitas vezes haverá aulas nas manhãs de sábado... Esqueça o tão bom happy hour com amigos... Sexta é o pior dia, enquanto a maioria das pessoas já está começando o final de semana, você tem aula para assistir até quase 11 da noite!

Agora a pergunta que não quer calar: Vale a pena????

Se a segunda profissão/faculdade é a realização de um sonho: Cada minuto vale a pena!!!

sábado, 24 de novembro de 2012

Desabafo de uma quase nada vaidosa!


Será que eu vivo mesmo nesse planeta?

SOCORRO!!!! Uma loja, um salão ou uso pessoal? Imagem retirada do Google Imagens

Quando as pessoas pensam em Estados Unidos, a palavra COMPRAS vem logo na cabeça... Se eu disser que em minhas idas ao país não aproveito para fazer umas comprinhas estarei mentindo, mas não consigo superar a fase do essencial. Até porque, geralmente tenho muito o que fazer e não quero perder tempo em provadores de lojas... Para que comprar uma camisa de 20 dólares se tem uma de 10 que me atende super bem? É assim que funciona a minha cabeça e por isso tenho uma coleção de baby looks básicas da Tommy, que vestem super bem. Nem preciso provar, basta achar o meu tamanho e escolher a cor... Tenho umas de 2010 que até hoje estão novas e olhe que uso esse “look básico” quase todos os dias!! Haja lavagem!!! Então, meu tipo de compras em território americano ocorre muito mais por valer a pena (roupas no Brasil são super caras) e para depois passar meses sem precisar comprar nada...

Foto de viagem. A fonte era o principal...! Só pra demonstrar meu kit básico de todos os dias (jeans e camiseta de malha branca), risos!
Ah! Em climas mais frios, uso e abuso das sobreposições. Assim, posso tirar qualquer peça caso entre em um ambiente com aquecimento e não preciso necessariamente ter roupas de frio para usar esporadicamente... A soma de várias roupas de outono = uma roupa de inverno. Praticidade em 1 lugar!

Também morro de preguiça de me produzir. No geral, adoro um jeans e uma camiseta branca. Aí se for caminhar calço um tênis (durante anos era um vermelho que combinava com tudo, mesmo que não combinasse – só por ser hiper confortável) e se quiser ficar mais arrumadinha coloco uma sapatilha... Salto, só se for ficar sentada e mesmo assim, pequeno! Não nasci para sofrer!! Acessórios?? Uso a mesma corrente e brinco desde os 15 anos de idade. A argola é pequena o suficiente para não precisar tirar para dormir (evita o trabalho de botar e tirar...). De vez em quando ouso uma coisa nova, mas é muito, muito raro!


Adoro um cachecol, lenço, pashmina... Jeito mais fácil e barato de fazer a mesma roupa parecer 10 diferentes! Sem falar que deixam uma camisa de malha e uma calça jeans hiper elegantes...!
Até para mostrar meus "looks" é difícil. Tive que me recortar nessa foto, que na verdade foi tirada para registrar o encontro com dois grandes mestres da macrô nos EUA...

Nunca passei por uma situação que me parece super comum entre mulheres. Apaixonar-me por uma peça de roupa e simplesmente “precisar” comprar... Eu já chego olhando a etiqueta se estiver acima do meu teto (que é bem baixo) eu nem me permito achar lindo. Aliás, tem lojas que eu nem entro, a menos que esteja numa mega ultra liquidação. Mesmo assim, alguém vai ter que me avisar, pois quase não vou ao shopping (basicamente quando preciso comprar um presente de última hora ou para ir ao cinema).

Agora a pouco estava assistindo uns tutoriais de maquiagem. Nunca tinha visto um antes e preciso assumir que é uma ARTE!!! Mas, só de olhar as 1001 coisas que a menina usava, fiquei tonta!! Para quem curte a ideia, recomendo este blog, vários vídeos ótimos, super didáticos!

Em outubro, quando estava voltando dos EUA, fiz uma longa escala no aeroporto do Panamá e já não tinha mais o que fazer, aí resolvi entrar na loja da Mac. Isso porque, no final de setembro, fui madrinha de um casamento e minha irmã foi se arrumar comigo na casa de nossos pais. Levou um MEGA kit de maquiagem (tudo Lancome e Mac) e eu resolvi brincar, literalmente como uma criança pequena com aquele mundo de coisas, jamais usadas em minha vida. Como diz o ditado: Gato que nunca comeu melado, quando come se lambuza!

Nem sabia que existiam tantos tipos de pó, sombra, pinceis... Iluminador?? Até esse dia nunca tinha ouvido falar!! Pena que não tirei foto, pois, para quem nunca tinha assistido tutorial (o primeiro foi hoje) e também não está nada acostumada com esse mundo de “makes” e “looks”, fiz uma produção bem legal... Pelo menos recebi bastantes elogios!!

Essa parte das fotos também é uma coisa faz com que eu me pergunte se sou deste mundo. Simplesmente esqueço de tirar fotos!!! Gosto de tirar fotos de pessoas, de objetos, paisagens e principalmente flores e comidas (depois vejam o meu instagram), mas raramente paro para tirar fotos minhas... Às vezes acontece quando estou viajando (muito mais pela paisagem do que pela minha aparição na foto). Mas, no geral, a ideia de me produzir e tirar foto, nem passa em minha cabeça – só quando alguém dá a ideia... Quando era criança adorava vestir umas roupas de minha mãe e ficar tirando foto... Acho que a vocação pra modelo ficou perdida nesse tempo, risos!!

Olha o vermelhinho básico aí gente!!! Não dá para ver, mas nas três fotos era com ele que estava calçada... Meu companheiro desde 2007 - mega promo na Espanha por 18 euros. Nesses tempos frequentava muito o shopping, pois o supermercado que fazia compras ficava lá e era super perto de minha casa quando morei em Valencia. E mais lenço... Eu realmente AMO!!!
Foto tirada por minha tia Zeza, mãe da Mel (minha prima e autora deste LINDO blog) que nem preciso dizer: AMA tirar fotos e fez um "book" meu quando estive em Curitiba visitando a família...
P.S.: Olhando para esta foto me veio uma lembrança... Depois de muitos anos de uso intenso, a coitada rasgou de um lado a outro na bunda e no joelho, um dia que usei para andar de Bike. Aí ela já está dando sinais, se olharem bem tem um pedaço rasgado no joelho e outro na perna... Minhas roupas costumam durar ANOOOOS!!!

Enfim, voltando ao free shop do Panamá... Resolvi entrar na Mac e foi quase a mesma sensação de estar escolhendo carne no açougue (nunca comi carne). Claro que fui super bem atendida e falei que queria ver o básico. O vendedor saiu provando um monte de coisas em mim e me entregando "o básico". No fim, realmente não era muita coisa mesmo, mas muito mais do que jamais imaginei... Adivinhem quanto?? Mais de SETECENTOS dólares. Quase caí dura!! Isso porque sempre escutei falar que vale muito a pena comprar Mac em free shops, que é mais da metade do preço dos mesmos produtos no Brasil... Depois do susto, tentei resumir o básico pro hiper básico... Fui tirando, tirando... No fim, ficaram duas sombras, um blush, uns pinceis e sei lá mais o que. Poucas coisas mesmo e ainda assim QUATROCENTOS dólares. Fiquei morrendo de vergonha de ter alugado o vendedor por tanto tempo, mas simplesmente não tive coragem. Entrei em pânico, literalmente, e saí correndo da loja!

Aí hoje, vendo o tutorial de maquiagem, fiquei pensando no quanto se gasta para fazer esses looks maravilhosos... Tenho percebido também que as pessoas de fato investem em maquiagens. Meninas de 16 anos já tem kits maravilhosos!!!

Se eu disser que não acho as produções lindíssimas estarei mentindo. Mas aí penso na pessoa que sou. Comprei um creme de fazer massagem no cabelo (decidi deixar crescer, coisa que nunca consegui fazer na vida, pois como não cuido, quando as pontas começam a ficar com o aspecto ressecado, passo a tesoura SEM PENA). Desde julho devo ter feito no máximo CINCO vezes e mesmo assim, toda vez que penso em fazer me dá uma preguiça... Roupa: arrumo-me super-rápido e NUNCA TIVE um espelho de corpo inteiro. Na casa de meus pais até tinha um no quarto deles, aqui em BH não tem e não me faz a menor falta. Outro dia que me dei conta disso, pois minha cunhada esteve aqui e ficou indignada com a ausência de espelhos. Enfim, sou do tipo que sequer paro para ver como está a minha roupa antes de sair. No máximo dou aquela conferida de 30 segundos na descida do elevador.

Pensando em tudo isso preciso ser sincera comigo mesma: maquiagem seria um péssimo investimento. Morro de preguiça de me maquiar e mais ainda de chegar cansada e tirar toda a maquiagem antes de dormir. Para não ter esse duplo trabalho, acabo optando pela praticidade: não uso maquiagem. Só em ocasiões BEEEEEEM especiais!! Por tudo isso, para mim é realmente MUITO DIFÍCIL entender como a maioria das mulheres sentem prazer em gastar tanto tempo se arrumando. Acho admirável, assumo que queria “roubar” um pouco dessa vaidade para mim!

Será que tem mais alguém como eu?? Estou começando a achar que sou uma alien... Não me considero nenhuma hippie, apenas básica, entretanto já me apelidaram de “brau” e recentemente de “mulambinho”. O pior de tudo é que nem dou bola para esses apelidos, sou tão feliz assim!!! Quero mudar não! Claro que fazer uma mega produção, de vez em quando, deixa qualquer mulher com a auto-estima lá em cima... Mas, dá muuuuito trabalho!! Na minha cabeça é quase impossível incorporar "rotinas vaidosas" ao dia-a-dia. Espero que os hábitos saudáveis continuem colaborando para manter minha pele e cabelo bonitos por muito tempo, pois já me alertaram que meus dias estão contados e que, como estou perto dos 30, preciso começar a me cuidar mais... Quero não!!!! =(

sexta-feira, 23 de novembro de 2012

Inspiração para quem busca mudanças

Imagem do Google Imagens

Hoje li um pequeno artigo sobre vocação e escolha profissional num site e também fiz um teste de personalidade (mais um) que bateu muito bem com a minha percepção de mim mesma...

Antigamente, era muito conflitante para mim fazer esse tipo de teste, pois estava doida para "me encontrar" e procurava as respostas fora de mim, como em testes, por exemplo. Não adianta, estes testes podem ajudar, mas só quem pode responder suas perguntas, principalmente sobre aquilo que AMA fazer na vida, é você mesmo/a.

Depois de ter feito um curso de Fundamentos da Psicologia Junguiana, seguido de sete meses de terapia e de realizar grandes mudanças em minha vida, passei a me conhecer bem melhor e as inquietações deram lugar à uma sensação de que estou trilhando o meu caminho, aquele que simplesmente se encaixa perfeitamente com a minha natureza, instintos, valores...

Digo uma coisa, esta paz de espírito não tem preço! Desejo esta sensação para todo mundo.

Então, se você está nesta busca de autoconhecimento, saiba não tem fórmula de bolo. As respostas chegam no momento e formas que menos imaginamos... Como diz o ditado: "Faça a tua parte que na hora certa o mestre se apresentará.". Temos que estar prontos e atentos para reconhecer os inúmeros mestres que cruzam o nosso caminho, quase que diariamente.

A vida é uma eterna lição.

Compartilho então o link do tal teste que fiz esta manhã e esse belo vídeo. Espero que sirvam de inspiração, acalmem os corações inquietos e fortaleçam aquelas certezas que as vezes ficam nebulosas...


Mudanças alimentares x Vida social


Imagem do Google Imagens

Adoro receber feedbacks das mudanças alimentares dos meus alunos. Para mim, não tem preço escutar palavras como: “Nunca experimentei tanto tempo de BEM ESTAR, exceto quando como açúcar..rsrs!!!” de pessoas que há pouco tempo eram viciadas em doces e nunca tinham comido um brócolis e de repente estão melhores amigas do reino vegetal.

Falar é muito fácil, difícil mesmo é colocar em prática. Para quem está do outro lado, como eu, orientando e acompanhando processos de reeducação alimentar, perceber os efeitos das mudanças e ver a comprovação de toda a teoria e reações previstas, é LINDO!!!

Outro dia uma das minhas alunas estava comentando a dificuldade que é lidar com as críticas. Falei umas coisas para ela que acho pertinente compartilhar, pois acredito que muita gente passe por isso.

De repente você resolve mudar seus hábitos alimentares. Começa a comer tudo integral, mais verduras, investe nos dotes culinários, orgânicos e tudo que o mundo natureba lhe permite... A maioria das pessoas que lhe cerca fica dando pitaco... Uns dizem que está maluco/a, outros dizem que está neurótico/a... Resumindo, as pessoas mais criticam do que dão apoio e por isso é bem difícil...

Difícil recusar um refrigerante, recusar um bombom, uma sobremesa... Sentar num bar e de repente trocar a cerveja por uma jarra de água de coco, preferir beliscar uma bruschetta de tomate com manjericão ao invés daquela carne gordurosa na chapa e por aí vai....

Ninguém nunca disse que “droga” é ruim. Por isso mesmo vicia, porque é bom!!! Açúcar é uma droga MOR, altamente viciante e poucas pessoas se dão conta ou reconhecem o seu vício. O queijo se liga aos mesmos receptores da morfina no cérebro, causando imenso bem estar... Enfim, abdicar de certos alimentos, ou reduzir a quantidade deles é quimicamente sofrível para o nosso organismo.

Então, voltando às mudanças alimentares X vida social.... Você está feliz da vida, super orgulhosa de seu progresso, se sentindo hiper bem... Maaaaaas!! Tem que aguentar a crítica e insistência das pessoas: “Prove... Só um pedacinho... Esse doce está dos deuses, não acredito que não vai comer...” e por aí vai.

Você não é de ferro e acaba caindo na tentação mais cedo ou mais tarde. O que acontece? Alguém vem lhe criticar: “Você?? Comendo chocolate/pão branco/pizza...? Pensei que estivesse de dieta...” Ahhh!! Vai tomar banho!!! Se segue a dieta certinha as pessoas lhe criticam, se dá uma escapulida, criticam também!!

Assim fica difícil, não é mesmo?? E aí, o que fazer nessas horas?!? Aperte o “foda-se” e seja feliz!!!  Como ainda não inventaram o tal botãozinho mágico, vamos lá! Primeira lição: siga o seu sentimento, a sua vontade. Nada de se guiar pela cabeça dos outros. Ser autentico requer perseverança, personalidade e atitude. Em qualquer decisão na vida que fuja o consenso, sempre haverá gente querendo te puxar pro outro lado (muita gente!). Busque apoio das pessoas que estão realmente do seu lado...! Deixe de escanteio (não precisa ser para sempre) as pessoas que mais atrapalham do que ajudam no seu processo de mudanças...

Parte disso é INVEJA!!! Isso mesmo... Ô sentimentozinho ruim de reconhecer!!! Não lembro os números, mas é algo do gênero: em uma pesquisa sobre os sete pecados capitais (li isso no livro INVEJA de Zuenir Ventura), as pessoas reconhecem a INVEJA como pecado mais presente nos outros e menos presente em si. Como assim?? A matemática não bate!

Então... A felicidade, a coragem, a perseverança, a beleza, a magreza, a pele bonita e muito mais coisas geram inveja nas pessoas. Só que elas não conseguem abdicar das guloseimas que as deixam com espinhas no rosto (aquilo que está fazendo para a sua pele ficar maravilhosa), então preferem ficar te instigando para “deixar de besteira” e afundar junto com elas. No fundo, sentem-se consoladas se as pessoas enfearem, enquanto elas não conseguem melhorar...

Não quero dizer que todo mundo seja assim. Mas que esse sentimento está no ar, está sim...!! Fique atento/a!!!

Devemos ter isso sempre em mente e procurar sermos autênticos/as e fieis às nossas crenças.

Quando alguém te encher o saco porque está pulando a cerca na dieta (ou no que for), não se deixe culpar. Responda na lata: “Estou sim!! Me deleitando com esse chocolate. Eu mereço, 90% da minha dieta é mega saudável, durmo bem, faço atividades físicas – justamente para poder pular a cerca de vez em quando sem o menor sentimento de culpa!” Pronto!! O que alguém pode lhe dizer depois de uma resposta dessas? Precisa mostrar firmeza até no momento de fraqueza...! Se é pra enviar o pé na jaca, procure uma com visgo e enfie com vontade. Afinal, se tocar de leve vai grudar de todo jeito e não vai ter valido à pena!

É triste, mas é verdade. Tem gente que sente prazer em colocar as pessoas para baixo. Como se "alfinetando" as pessoas, pudessem sentir certo grau de superioridade... Muitas vezes nem existe uma maldade premeditada em certos comentários, mas está no instinto humano tanto a bondade quanto a maldade e cabe a nós sabermos filtrar aquilo que escutamos. Afinal de contas, você não vai deixar uma crítica besta, de alguém que não faz ideia do que é a sua vida (como diz Caetano: "Cada um sabe a dor e a delícia de ser o que é") lhe derrotar, né? Muito menos afetar a sua vida social, cercada de boas companhias e papos... Infelizmente não temos controle de todo mundo que interagimos em nosso ciclo social e volta e meia aparece aquele inconveniente que perde boas chances de ficar calado. Não adianta fazer grosseria, ser desagradável, nada disso... Não vale a pena se indispor. O melhor a fazer é simplesmente não se deixar  "virar assunto" numa mesa, se isso não for confortável para você. Se começarem a comentar muitos as suas  opções alimentares, não dê trela, logo as pessoas verão que não têm espaço para se meter (nesse ou em outros aspectos/escolhas de sua vida).

E o principal: SEJA FELIZ!! Se der vontade de comer aquela coisa fora da dieta, coma de forma consciente, saboreie SEM CULPA!! Mastigue bem, aproveite cada textura, aroma e sabor... Isso diminuirá a compulsão (poderá desfrutar um tablete de chocolate e não uma barra inteira) e estará praticando a consciência alimentar, até quando comer algo que sabe que não é a coisa mais saudável do mundo.

É isso aí. Desejo muita sorte nas mudanças alimentares (e em qualquer outra mudança). Que você consiga perseverar com os seus objetivos, sem deixar que a opinião (não solicitada) alheia te jogue para baixo ou te desanime. Ninguém, mais do que VOCÊ sabe o que é bom para você mesma. Siga sua intuição e seja feliz!!! =)

Sobre a comida, lembre-se: Comemos para viver e não vivemos para comer. Não se deixe tornar refém dos seus hábitos alimentares... Saúde física e mental andam juntas!! Não adianta comer tudo perfeito e reprimir desejos... A tendência, com a reeducação alimentar é que eles sejam cada vez menores e mais raros... Faz parte de um processo lento e gradual. Respeite-os e aprenda a conviver com as suas fraquezas pacificamente, afinal de contas, somos humanos e estamos longe da perfeição.

Beijos e bom final de semana!! =)

Dom de Iludir - Caetano Velloso