quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011

Ácidos, bases, yin e yang...



Em 1986 o autor e professor da filosofia macrobiótica, Herman Aihara explicou Yin e Yang em seu livro “Acid and Alkaline” a partir dos conceitos de Ácido e Base, nomes mais corriqueiros na linguagem ocidental e que expressam forças opostas.

Hoje resolvi fazer o oposto, explicar ácido e base na linguagem de Yin e Yang na tentativa de familiarizar um pouco mais os termos orientais aos leitores ocidentais.
Qualquer pessoa, mesmo que não tenha ligação alguma com a área da saúde já ouviu falar sobre pH, mas nem todas sabem do que se trata. O corpo humano é uma máquina perfeita em busca constante pela manutenção do equilíbrio que em termos biológicos chamamos de homeostasia.

Existem algumas formas de verificar o grau de equilíbrio do organismo, sendo uma delas através da água, já que ela influencia em todo o funcionamento do corpo, banhando as células, dissolvendo e transportando compostos, permitindo a movimentação de moléculas, dissipando calor e participando de reações químicas. O conteúdo aquoso em nosso corpo encontra-se na proporção de 1/3 de seu volume dentro das células e os restantes 2/3 fora delas, no sangue.

Comparando-se o sangue e a célula, podemos dizer que o sangue possui predominância de sódio (Na = 140mMol/L : K = 4mMol/L) , logo caracteriza-se como Yang em relação às células que têm predominância de potássio (Na = 10mMol/L : K = 110mMol/L), podendo ser considerados Yin nesta comparação. Logo, em termos proporcionais nosso organismo, no que tange a relação entre as células e o sangue, tem características mais Yang.

Retornando à água, a mesma constitui uma molécula polar, ou seja, possui uma distribuição diferente de cargas, maior para o oxigênio e menor para o hidrogênio. As moléculas de água ligam-se entre si através das pontes de hidrogênio que são o que determina o estado da água: quanto mais sólida maior a quantidade de pontes, quanto mais gasosa menor o número de pontes, que são rompidas através da vibração da molécula que ocorre com o aumento de sua temperatura.

Enfim, o que são ácidos e bases? Ácidos são substâncias que doam íons de hidrogênio (H⁺) e bases são substâncias que recebem íons de hidrogênio (H⁺). Um exemplo de íon receptor do "próton" hidrogênio (H⁺) é a hidroxila (OH⁻), logo uma base. A água, contendo ambos os elementos que constituem a hidroxila e o hidrogênio, constitui-se de uma solução que se mantém em equilíbrio. Daí o surgimento da terminologia pH: o aumento dos íons de Hidrogênio em uma molécula de água a torna mais ácida ao passo que a diminuição ou perda de íons de hidrogênio a tornam mais básica.

Uma equação logarítmica, derivada da reação química entre a água e seus íons faz chegar ao número sete (7) como o de equilíbrio da água, pH neutro. Logo, tornar-se-á ácida quando apresentar um pH inferior ao número sete e básica quando este for superior ao sete. Com isso, o pH expressa a acidez (yin) ou alcalinidade (yang) de um meio ou solução.

Nosso organismo possui diferentes pHs em cada parte. Por exemplo: o sangue possui um número próximo ao neutro de 7,4, a saliva propriedade mais ácida em relação ao sangue com pH = 6,5 e o suco gástrico muitíssimo ácido com pH = 1,5. O corpo busca manter estes e outros números em equilíbrio, de forma que sempre que houver uma reação externa que os altere, ocorrerá uma reação química em prol do reequilíbrio.

A este sistema de equilíbrio do pH, damos o nome de efeito tampão. Ele reagirá tanto no meio básico quanto no meio ácido e caracteriza-se por possuir um ácido fraco (não se dissocia completamente) e uma base conjugada (formada pelo ácido). O tampão mais importante no corpo humano é o que atua no sangue, chamado de Ácido Carbônico – Bicarbonato (H₂CO₃ <-------> H⁺ + HCO₃⁻) .

O sangue, como foi dito anteriormente, possui pH de 7,4 e encontra-se em acidose quando diminui para pH = 7,35 ou alcalose quando aumenta para pH = 7,45. Esta pequena variação demonstra a importância da manutenção do pH sanguíneo, afinal quando estes números chegam a pH=6,8 ou pH=7,9, representam a morte.

Como ocorre esta regulação do pH sanguíneo? A ação do tampão: Ácido Carbônico – Bicarbonato (H₂CO₃ <-------> H⁺ + HCO₃⁻) gera água (H₂0) e dióxido de carbono (CO₂), logo é fácil concluir que esta reação ocorre através da água e do ar. Uma acidose pode ser provocada de forma metabólica, podendo ocorrer através de uma atividade física que aumente a liberação de CO₂ ou de forma respiratória quando o ritmo respiratório é diminuído (hipoventilação). A alcalose, por sua vez é o fenômeno contrário, sendo a alcalose respiratória ocasionada por excesso de inspiração (hiperventilação) e a alcalose metabólica ocasionada pelo rim (segundo centro de controle do pH do sangue depois da água), caso ele esteja retendo a urina.

Com isso, podemos concluir que a alcalose representa uma reação Yang no organismo, onde pode haver urina retida e predominância da inspiração em relação à expiração. Retornando ao conceito de Yin e Yang, podemos ver facilmente que ambas apresentam características de concentração ao passo que no caso da acidose, podemos perceber fenômenos Yin de dissipação como excesso de urina e predominância da expiração, ou liberação de CO₂.

Estes dados podem ser observados cientificamente através de coleta sanguínea, sendo uma forma rápida de detectar o estado de alguém em determinado momento e também um excelente modo de quantificar termos tão abstratos para uns como Yin e Yang. Vale observar que ele só poderá ser verificado em exame laboratorial quando estiver bastante alterado e o tampão não estiver dando conta, pois nas "CNTPs" o corpo tende sempre manter o pH sanguíneo em equilíbrio. Existem formas muito mais intuitivas de se fazer esta análise em alguém, entretanto, na intenção de aplicar conceitos orientais no tratamento da saúde ocidental a possibilidade de se exemplificar através de dados científicos é interessantíssima.

Fica a dica para aqueles que praticam esportes, ioga, respirações e meditação: atenção para o seu corpo, se você já tende a ter características mais Yang, poderá neutralizar esta condição e acompanhar sua evolução através da simples análise da respiração e urina, vice versa para quem se percebe com mais características Yin. Como tudo nestes conceitos, não há certo ou errado, lei alguma, apenas auto-conhecimento e busca do equilíbrio pessoal, que é obtido diferentemente entre cada um de nós.

2 comentários:

  1. Oi Achei muito bom .....
    quase deu um, nó na minha cabeça.
    fico pensando como esta quimica funcionacom as pessoas bipolares(se tem a ver ) se a alternacia do ph pode interferir no "estado de espirito das pessoas?
    Nos mais idosos? aqueles que precisam tomar alfapoetina?

    ResponderExcluir
  2. Oi Anônimo!!

    Só vi seu comentário agora! E nem sei quem é... Te conheço pessoalmente ou é um seguidor virtual??

    Essa alternancia está presente em absolutamente tudo em nossa vida. No caso mental e de comportamento, de forma resumida diria que um comportamento introvertido, depressivo é uma expressão Yang e um corportamento extrovertido, alegre uma expressão Yin.

    Mas cada caso é um caso e como diz um dos postulados da teoria oriental, tudo que tem frente tem dorso, quanto maior a frente maior o dorso. Então, muitas vezes o que expressamos é o oposto, como forma de compensação de nosso corpo, entende??? Ele está sempre querendo se equilibrar e os extremos tendem a virar seus opostos....

    Por exemplo, uma pessoa que come muito açucar, café e outras coisas estimulantes, podem a curto prazo ter uma reação enérgica... A longo prazo isso pode gerar uma depressão!!

    Cada caso é um caso, não existem formulas nessa teoria e sim uma boa compreensão da ordem do universo e principalmente sensibilidade e intuição para perceber qual a ação que predomina naquela pessoa naquele momento. Fazemos essa análise com um conjunto de coisas como: diagnóstico corporal, observando a alimentação da pessoa, estilo de vida, personalidade...

    É isso aí, grata pela visita e desculpa só ter retornado agora. Preciso descobrir como fazer esse blog "avisar" no meu e-mail quando alguem comenta.

    Abs.,
    Camila

    ResponderExcluir