sábado, 15 de março de 2014

Receita: Molho vermelho à base de cenoura e beterraba, com "falso parmesão" de castanha do Brasil

Quem diz que esse molho não é de tomate?

Acho que já comentei por aqui que evito ingerir tomate, batata-do-reino, pimentão e berinjela, por serem alimentos que pertencem ao grupo das solanáceas. Estes vegetais possuem alto potencial acidificante na corrente sanguínea, estando intimamente ligados à inflamações e problemas nas juntas e articulações. Uma dica: quando for consumir qualquer alimento do grupo das solanáceas, dê preferência à forma cozida, pois o cozimento reduz a acidez deles. Além disso, o tomate e o pimentão são campeões históricos nas listas de alimentos contendo mais agrotóxico. Logo, acabo de dar duas ótimas razões para evitar esses alimentos, principalmente o tomate cru, tão frequente nas saladas brasileiras tradicionais. 

Já tinha publicado um molho falso de tomate que costumo fazer usando cenoura e cebola, mas nunca tinha publicado a opção acrescentando beterraba na receita, que deixa o molho ainda mais parecido com molho de tomate de verdade. Esta foi justamente uma das receitas que a Bela Gil apresentou na estreia do seu programa esta semana e como ela acrescentou uns condimentos extras, fiquei curiosa para testar - especialmente a noz-moscada. Como cozinheira bem indisciplinada que sou, acabei fazendo a receita de cabeça e no olhômetro e só hoje fui conferir a versão original no site do GNT. A parte boa foi que constatei que a minha memória, percepção e intuição, para proporções e ingredientes, andam afiadas. A parte ruim foi que, como alterei algumas coisas, fiquei sem saber exatamente o sabor da receita, pretendo seguir o passo-a-passo em outra oportunidade. De qualquer maneira, o resultado ficou ótimo, por isso vou compartilhar com vocês, especialmente pelo toque final que acrescentei em homenagem aos meus leitores veganos: parmesão falso de castanha do Brasil. 

Lembrem-se que assim como molho de tomate, este molho pode ser usado puro ou servir de base para molhos vermelhos mais elaborados, misturado como outros ingredientes, como: camarão, azeitonas, alcaparras, palmito, anchova, atum, rúcula e/ou manjericão frescos, brócolis, couve flor, carne de soja, seitan, tofu, etc... 

O que fiz de diferente?   
  • Não piquei a cebola, deixei em meia lua, pois sabia que depois ia bater e prefiro refogar ela assim;
  • Refoguei a cebola somente com água no começo; 
  • Esqueci de colocar o vinagre (ela indica 1 colher de chá de vinagre de maçã ou arroz);
  • Esqueci de colocar a folha de louro e o orégano;
  • Só acrescentei o azeite de oliva e o molho shoyu no final (não custumo deixar que fervam ou cozinhem por muito tempo, para melhor manutenção de suas qualidades nutricionais);
  • Utilizei tiras de castanha do Brasil no lugar do queijo parmesão.  
Ingredientes:
  • 2 colheres de sopa de azeite de oliva 
  • 3 cenouras, descascadas e cortadas em pedaços médios 
  • 1 beterraba pequena, descascada e cortada em pedaços médios 
  • 1 cebola média cortada em tiras  
  • 2 dentes de alho picado  
  • 2 colheres de sopa molho shoyu 
  • 3 copos de água 
  • 1 pitada de noz-moscada
  • Sal marinho (à gosto)
  • 1 xícara de salsa fresca picada 
  • 4 castanhas do Brasil (Pará)
Modo de preparo:

  • Refogue a cebola, na panela seca (sem água e sem óleo) até ficar bem dourada e cremosa, acrescentando o mínimo de água. Se o fundo da panela começar a escurecer, não se preocupe, pois quando acrescentar a água ele irá limpar naturalmente. 
  • Adicione a água e o alho e deixe ferver, depois acrescente a cenoura e a beterraba, o sal e a noz moscada e deixe cozinhar com a panela semi-tampada, com fogo baixo, até os vegetais ficarem bem macios. 
  • Bata tudo no liquidificador e devolva para a panela, acrescentando o shoyu, o azeite de oliva e a salsa (gosto de ver seus pedacinhos - ainda verdes - no molho, por isso só acrescento no final, mas se preferir pode bater) e cozinhe mais 5 minutos (sempre acrescento um pouco mais de água, que uso para "limpar" o excesso do liquidificador).
  • Corte as castanhas do Brasil em tiras compridas para polvilhar por cima, criando um falso parmesão crocante.
Obs.: Na receita da Bela, ela fez a massa caseira, eu por praticidade, usei a massa pronta. Depois é só misturar o molho à massa e servir. 

Rendimento: 4 porções

3 comentários:

  1. Ficou ótimo!!! Todos acharam que era molho de tomate ;)
    Camila, posso congelar em pequenas porções?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Sonia,

      Que otimo que deu certo! Pode congelar sim!!!

      Excluir
  2. Gostei da ideia de do molho a base de cenoura e beterraba nunca tinha pensado nisso e esse parmesão falso tbm gostei parabéns e obrigado por comprtilhar

    ResponderExcluir