domingo, 15 de abril de 2012

Lipídios na dieta



Afinal, o que são lipídios? Lipídios são macronutrientes fundamentais na dieta humana. Eles podem existir na forma de óleo (líquido à temperatura ambiente) ou gordura (sólida à temperatura ambiente). Suas fontes podem ser animais ou vegetais.

E o azeite? É um termo que significa a mesma coisa que óleo. O nome foi adotado no Brasil, pois, o azeite de oliva é um produto típico de importação, chegando ao Brasil com o nome de acete. Tanto é que nos EUA, é chamado de Olive Oil.

E a grafia certa, qual é: lipídios ou lipídeos? Ambos! Mas, lembre-se que quando escolher uma forma de escrita deverá usá-la igualmente ao longo de todo o material escrito que estiver produzindo, que contiver a palavra.

Nas décadas de 1980 e 1990 a ciência apostou no lipídio como vilão responsável pelo aumento dos casos de hipertensão, diabetes e obesidade e este passou a ser reduzido drasticamente das dietas. Ao contrário do que se imaginava, de lá para cá os índices de doenças crônicas não transmissíveis, totalmente vinculados à dieta, não diminuiu em nada. Pelo contrário, vem crescendo alarmantemente. A bioquímica explica esse fenômeno de forma bem simples, afinal, o excesso de carboidrato ingerido se transforma em ácidos graxos, que são armazenados no tecido adiposo. O aumento da gordura corporal, por sua vez, leva à obesidade que está intimamente ligada às doenças crônicas descritas.

Os lipídios dão muito sabor à comida. Ao adotar uma dieta pobre em gorduras a indústria alimentícia passou a caprichar em condimentos como açúcar, sal e glutamato monossódico para garantir que as comidas não ficassem com gosto de papel. O consumo lipídico anda tão reduzido que hoje, ao analisar a dieta da população em geral, observa-se que este está abaixo do mínimo recomendado. Por outro lado, o consumo de carboidratos apresenta-se, em grande parte das vezes, superior ao máximo recomendado.

Os triglicerídeos (gordura corporal) constituem a principal fonte energética armazenável no corpo. É graças a eles que o ser humano consegue sobreviver a longos períodos adversos quando há escassez de comida. Além disso, exercem outras funções fundamentais no organismo como: na coagulação sanguínea, no isolamento térmico, na estrutura das membranas celulares, na proliferação e diferenciação celular, nas funções hormonais e como antioxidantes. 


Um grama de lipídio contém 9kcal, ao passo que  um grama de carboidrato ou proteína contém 4kcal. Até quem não entende nada de matemática poderá perceber que os lipídios possuem mais do que o dobro de calorias que os demais macronutrientes. Por esse motivo são frequentemente retirados das dietas de quem busca emagrecimento. Ocorre que um organismo em carência de lipídio vai, não somente emagrecer, como também sofrer alterações metabólicas sérias.

Mas calma! Não vá achar que, por isso, pode se encher de frituras no lugar dos doces. Mudanças dietéticas não são tão simplórias, requerem uma reeducação e acompanhamento profissional. Para adequar o consumo lipídico numa dieta é preciso antes mensurá-lo, bem como os índices de outros macro e micronutrientes ingeridos, a fim de elaborar uma dieta balanceada. Os lipídios são subdivididos em classes como os ácidos graxos saturados, insaturados e poliinsaturados, e ainda os famosos ômega 6 e ômega 3. Todas essas variações lipídicas devem ser consumidas segundo proporções que respeitem a individualidade bioquímica de cada pessoa. Isso sem falar nas tais gorduras trans... Em breve escreverei abordando mais detalhes destas classificações, aguardem!

2 comentários:

  1. eu avhei otimo estou estudando lipideos e achei otimo ,me ajudou demais

    ResponderExcluir